Premium

Agressor de mulheres libertado pode contactar as vítimas

Agressor de mulheres libertado pode contactar as vítimas

Um antigo alfaiate, de 69 anos, da Póvoa de Lanhoso, enviou cartas de teor sexual, intimidatório e persecutório a pelo menos 10 mulheres daquele concelho. Foi detido pela GNR e libertado pelo juiz de instrução criminal, sem qualquer medida que o proíba de voltar a contactar as vítimas, presencialmente ou por carta.

O arguido tem apenas de se apresentar na GNR duas vezes por semana. Isto, apesar de ter causado medo e insegurança a várias mulheres. O Ministério Público não pediu ao juiz qualquer proibição de contactos com as vítimas.

O homem, reformado, é suspeito do crime de perseguição, também conhecido como "stalking". Apesar de nunca ter sido visto a seguir as mulheres a pé, enviou cartas "para as residências e locais de trabalho" das vítimas, com teor "sexual e intimidatório", de forma reiterada, pelo menos nos últimos dois anos, refere a GNR.

ver mais vídeos