Violência

Casal homossexual brutalmente agredido em Coimbra

Casal homossexual foi agredido num shopping em Coimbra|

 foto Facebook Duarte

Casal homossexual foi agredido num shopping em Coimbra|

 foto Facebook Duarte

Casal homossexual foi agredido num shopping em Coimbra|

 foto Facebook Duarte

Casal homossexual foi agredido num shopping em Coimbra|

 foto Facebook Duarte

Um casal homossexual do Porto foi brutalmente agredido, no sábado à noite, junto ao hipermercado do Alma Shopping, em Coimbra.

Duarte, 24 anos, viaja todos os fins de semana do Porto até Coimbra onde o namorado, também portuense, estuda e reside. No sábado, pelas 19.15 horas, foram ambos insultados e agredidos por um clã famíliar.

"Estava no Alma Shopping, porque o meu namorado trabalha no Jumbo, e dei-lhe um beijo de despedida como qualquer outro dia em que ele vai trabalhar e eu vou levá-lo. E uma família de ciganos - pai , mãe e dois filhos com cerca de 18 anos - começou logo com os insultos", contou Duarte ao JN.

"Chamaram pedófilo - o que não faz qualquer sentido - disseram que nos iam matar e nós tentamos não mostrar cobardia. Eu sou como sou e não tenho de ter medo", acrescentou o jovem portuense.

"A mulher começou a cuspir na cara do meu namorado" e partiu para a violência física. Na mesma altura, pai e filho atacam Duarte. "Atingem-me com um alicate na cabeça, eu começo a sangrar, vou para o chão, e eles a dar pontapés ao meu namorado, também já no chão", descreveu.

No momento da agressão "havia pessoas a ver mas ninguém fez nada devido à violência", reconhece Duarte. "Quando eu me levanto e estou a escorrer sangue eles fogem e aí é que os seguranças do shopping apareceram", lamentou.

O jovem casal foi assistido pelo INEM e apresentou queixa à PSP. "Uma pessoa anotou a matrícula da carrinha da família e filmou a fuga", adiantou Duarte, que levou "oito pontos na cabeça por causa da perfuração do alicate". O namorado ficou "com a marca da sola da sapatilha [de um dos agressores] na testa".

Duarte ainda está incrédulo. "Foi a primeira vez que isto aconteceu, nunca senti homofobia, nem em Coimbra nem no Porto".

Num esclarecimento enviado ao JN, fonte oficial do Alma Shopping "lamenta o sucedido e repudia qualquer tipo de violência ou coação contra terceiros", sublinhando que o incidente ocorreu no exterior. "Foi solicitado um pedido de auxílio à equipa de segurança do Alma Shopping no seguimento de distúrbios e agressões no exterior do centro, na rua D. João III", lê-se na nota. "O segurança do centro procurou atuar de imediato, mas, chegado ao local, as perturbações já teriam terminado. No entanto, foram prestados os primeiros socorros às vitimas pela equipa de vigilância do centro", acrescenta.

O JN contactou a PSP de Coimbra para pedir esclarecimentos sobre este caso, nomeadamente, para saber se a família de agressores já foi identificada, mas até ao momento ainda não obteve resposta.