Premium

Apanhado 17 vezes a conduzir sem carta recebeu perdão

Apanhado 17 vezes a conduzir sem carta recebeu perdão

Cadastrado deu boleia a vítima de violência doméstica até ao posto da GNR para apresentar queixa. Tribunal da Relação considerou ato "nobre" e reverteu pena efetiva de prisão.

O Tribunal da Relação de Guimarães suspendeu a pena de oito meses de prisão a um homem de Valpaços, desempregado e com 40 anos, que tinha sido condenado a uma pena efetiva em primeira instância por conduzir sem carta pela 17.ª vez. A Relação foi indulgente porque levava uma mulher, vítima de violência doméstica, ao posto da GNR.

Sérgio P., natural de Sanjozenda, é um velho conhecido da GNR de Valpaços. Até já teve carta de condução, mas ficou sem ela. A última vez que foi apanhado a conduzir sem carta foi em 26 de dezembro. Sérgio estava em liberdade condicional havia três meses e deu boleia a uma vizinha que queria ir ao posto da GNR apresentar queixa por violência doméstica. Pegou no seu Opel Corsa e lá foi com a vizinha ao posto de Valpaços, mas já não saiu de lá. Ficou detido por não ter carta.