ASAE

Aproveitavam saldos para vender sapatilhas contrafeitas em lojas

Aproveitavam saldos para vender sapatilhas contrafeitas em lojas

A ASAE desmantelou uma rede internacional que aproveitava a época de saldos para vender sapatilhas de marca contrafeitas em lojas e também na Internet. Foram apreendidos cerca de 700 pares de calçado num armazém de Guimarães e um empresário foi constituído arguido.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, as sapatilhas eram misturadas com produtos oficiais, para enganar os consumidores, que pensavam comprar, em saldo, produtos que custam habitualmente cerca de cem euros, a metade do preço. Eram sapatilhas da Nike ou da Adidas que seriam importados de países da Europa de Leste para Portugal.

Para além de abastecer lojas físicas, a rede também vendia os produtos através de páginas da Internet e de redes sociais. A qualidade das contrafações seria suficientemente boa para enganar qualquer consumidor.

A investigação da Unidade Regional Norte da ASAE permitiu apurar que as sapatilhas chegavam do leste europeu diretamente para o armazém de Guimarães, onde depois eram distribuídas pelas lojas ou enviadas via CTT, através das vendas na Internet.

Para além do empresário arguido, a ASAE identificou vários suspeitos de participarem no esquema.

A investigação vai prosseguir para localizar todas as lojas envolvidas no esquema

ver mais vídeos