Premium

Bruno ligou seis vezes a ex-líder da Juve na véspera do ataque

Bruno ligou seis vezes a ex-líder da Juve na véspera do ataque

Bruno de Carvalho e Fernando Mendes, ex-líder da Juve Leo, atualmente em prisão preventiva, falaram por seis vezes ao telefone, em pouco mais de uma hora, na véspera do ataque a Alcochete, onde 40 membros da claque agrediram jogadores e equipa técnica.

O Ministério Público (MP) que acusou esta semana o ex-presidente do Sporting, Fernando Barata "Mendes" e Nuno Mendes "Mustafá", atual líder da Juve Leo, e os restantes 41 arguidos de crimes de sequestro, ofensas a integridade física e ameaças, acredita que Bruno de Carvalho e os dois líderes da Juve Leo concertaram a decisão e determinaram a invasão à Academia do Sporting.

De acordo com a acusação, foi entre as 1,30 horas e as 2,40 horas do dia 14 de maio que Fernando Mendes e Bruno de Carvalho estabeleceram seis contactos telefónicos, sem no entanto referir o conteúdo. Porém, naquele dia, segundo as dezenas de mensagens de WhatsApp trocadas em grupos privados, citadas na acusação, o ataque já estava a ser preparado e o ex-líder da Juve Leo estava a par de tudo. Por isso, o MP assegura que Bruno de Carvalho, que tinha estabelecido um clima de violência contra os jogadores, conhecia o plano de invasão e determinou-o.