Premium

Caça aos telemóveis nas cadeias dispara preços e gangues lutam por eles

Caça aos telemóveis nas cadeias dispara preços e gangues lutam por eles

As rusgas feitas nos primeiros cinco meses de 2018 retiraram mais de mil telemóveis das cadeias - quase metade dos aparelhos apreendidos em cada um dos dois anos anteriores.

A escassez de telefones nas celas é agora tanta que um dispositivo custa, no mínimo, 400 euros no mercado negro e há gangues que se envolvem em confrontos para garantir o domínio das telecomunicações no interior das prisões.

A existência de telemóveis nas cadeias era, há muito, conhecida das autoridades e da opinião pública. Porém, a publicação de vídeos filmados com telemóveis e transmitidos, por vezes em direto, nas redes sociais pelos próprios reclusos mostrou que o acesso aos dispositivos, mas também à Internet, era fácil, rápido e sem controlo.