Justiça

Condenada a seis anos por forçar menor a prostituir-se no Porto

Condenada a seis anos por forçar menor a prostituir-se no Porto

O Tribunal do Porto condenou a seis anos de prisão uma mulher de nacionalidade nigeriana, atualmente em parte incerta, que forçou uma menor a prostituir-se nas ruas do Porto.

A vítima, com 17 anos, também de origem nigeriana, tinha sido raptada no seu país por uma rede que a drogou e agrediu para a levar para a Europa.

A mulher, de 40 anos, que foi detida pelo SEF em 2017, mas colocada em liberdade pelo Tribunal, também foi condenada a indemnizar a vítima no valor de 100 mil euros.

"A menor, que fora raptada no Gana, mantida em cativeiro e transportada até à Líbia, durante esse trajeto, incluindo no deserto, foi alvo de abusos vários, tendo depois sido colocada por traficantes de pessoas num barco, que efetuou o trajeto até Itália. Na chegada a Itália, foi documentada e acolhida num centro de imigrantes, mas dois traficantes, da mesma nacionalidade da vítima, lograram desviá-la desse local, aproveitando uma das saídas autorizadas. Acabou por ser colocada num apartamento em Roma, Itália, onde foi novamente alvo de abusos", explica o SEF em comunicado.

A vítima foi depois encaminhada para Roma e para o Porto, onde era forçada a "manter relações sexuais com cerca de dez homens por noite, durante o período em que foi explorada", adianta o SEF.

"Durante todo o processo, o SEF foi trocando informações com as autoridades italianas e nigerianas, tendo ainda ajudado a menor a documentar-se, assim como legalizar-se em território nacional, e dessa maneira sair de uma situação de fragilidade pessoal", indicou ainda o SEF

Imobusiness