GNR

Desmantelada na Maia rede que furtava carros para vender peças na Internet

Desmantelada na Maia rede que furtava carros para vender peças na Internet

A GNR descobriu no concelho da Maia uma rede que desmantelava viaturas furtadas para vender as peças em plataformas eletrónicas e deteve dois suspeitos, um dos quais já está em prisão preventiva, anunciou esta sexta-feira fonte policial.

Durante uma operação que envolveu a realização de sete buscas, militares do Núcleo de Investigação Criminal de Matosinhos da GNR apreenderam duas viaturas "prontas a ser desmanteladas" e diversas peças de automóveis, nomeadamente jantes, motores, tetos panorâmicos, faróis, "com o intuito de serem vendidas 'online'", indica um comunicado do Comando Territorial do Porto daquela força policial.

Além deste material, refere a GNR, os suspeitos tinham máquinas de diagnóstico e programação de centralinas de automóveis e respetivos componentes, como 'chips'.

Detinham ainda um inibidor de frequências, supostamente utilizado para facilitar a abertura das portas das viaturas escolhidas para desmantelar.

As sete buscas repartiram-se por um armazém, um veículo e cinco habitações, tendo-se realizado na terça e na quarta-feira, disse à agência Lusa uma fonte do Comando da GNR no Porto.

A descoberta da rede de furto e desmantelamento de automóveis para venda de peças surgiu no desenvolvimento de uma investigação que se prolongava há oito meses, relacionada com tráfico de estupefacientes.

Numa das sete buscas, a realizada num armazém, a GNR ainda apreendeu 311 maços de tabaco sem estampilha fiscal, "que era vendido num estabelecimento comercial nas imediações do local da busca".

Entre as armas encontradas na operação contam-se duas caçadeiras, um revólver e uma pistola.

A lista de apreensões incluiu igualmente 4700 euros em numerário, 17 doses de haxixe e duas de cocaína, um computador e um telemóvel.

Os dois detidos na operação, um homem de 66 anos e outro de 33, foram presentes na quinta-feira ao Juízo de Instrução Criminal de Matosinhos, que decretou prisão preventiva para o mais novo e apresentações semanais num posto policial para o outro.