PJ

Detido por assassinar mulher confessou que matou marido da amante

Detido por assassinar mulher confessou que matou marido da amante

Foi detido no mês de novembro por ter violado e assassinado uma mulher numa casa em Loures e acabou por confessar à Polícia Judiciária que, em 2014, tinha assassinado o marido da amante, a seu pedido, na Amadora. Ele ficou em prisão preventiva e a viúva, que estava no estrangeiro, foi agora presa pela Polícia Judiciária (PJ), mal regressou a Portugal.

A mulher tinha 27 anos e o marido 51, quando, em 2014, ela manteve uma relação extraconjugal. Combinaram matar o companheiro para que ela ficasse livre. A vítima foi baleada na cabeça, estrangulada e asfixiada ao entrar em casa, na Amadora, onde o autor do crime se escondera previamente.

Depois, o homicida ainda transportou "a vítima inanimada até à casa de banho, encheu a banheira com água e submergiu o corpo por inteiro, por forma a garantir que estava efetivamente morta", descreve, numa nota, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Na altura, a PJ não conseguiu indícios suficientemente fortes para imputar o homicídio à viúva. Mas, no passado mês de novembro, depois de ser descoberto o cadáver de uma mulher numa residência, em Loures, os inspetores conseguiram chegar à identidade de um suspeito. O método usado nesta morte era estranhamente semelhante ao aplicado anos antes na Amadora. A investigação também apurou que o mesmo suspeito tinha mantido uma relação com a viúva.

Questionado sobre estas coincidências, o arguido acabou por confessar ter assassinado o marido da amante e está agora indiciado pelos dois crimes.

A mulher foi colocada em prisão preventiva há dias.