Tribunal da Relação

GNR abandona posto e deixa autoestradas sem vigilância

GNR abandona posto e deixa autoestradas sem vigilância

Saiu duas horas antes do fim do turno e deixou autoestradas A14, A17 e A1 sem patrulhamentos. Arrisca prisão por não substituir colegas com serviço urgente.

Um cabo da GNR saiu do turno duas horas mais cedo e deixou três autoestradas sem patrulhamento. O Tribunal da Relação do Porto decidiu que vai a julgamento e o militar arrisca uma pena de até um ano de prisão porque não substituiu colegas que efetuavam o transporte urgente de um órgão para transplante.

O militar, destacado no posto de trânsito da GNR da Mealhada, alegou que, a 18 de fevereiro de 2018, tinha cumprido quatro horas de serviço gratificado antes do turno normal (das 13 às 21 horas). Quando tal acontecia, garantiu, era normal os militares daquele posto saírem duas horas antes do fim do turno.

Ler mais na edição impressa ou e-paper