Premium

Governo acusado de nomear "girl" para fiscalizar falências e dívidas

Governo acusado de nomear "girl" para fiscalizar falências e dívidas

O PSD diz que é "no mínimo inaceitável" que Teresa Moraes Sarmento, uma técnica especialista que estava colocada num cargo de confiança política do Ministério da Justiça e que já foi deputada pelo PS, tenha sido agora designada para presidir à Comissão para o Acompanhamento dos Auxiliares de Justiça (CAAJ), com o argumento de que se trata de uma personalidade "independente".

A designação foi formalizada em resolução de Conselho de Ministros publicada, esta quinta-feira, em "Diário da República". Ao abrigo do regimento da Assembleia da República, os deputados do PSD Fernando Negrão e Carlos Peixoto reagiram com duas perguntas escritas para a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, onde põem em dúvida o respeito pela lei e a validade da argumentação do Conselho de Ministros (CM), mas também a omissão, no currículo publicado com a referida resolução, de dados relativos ao percurso político de Teresa Moraes Sarmento.

Acompanhamento e disciplina