Protesto

Governo faz ultimato a guardas prisionais

Governo faz ultimato a guardas prisionais

O Ministério da Justiça propôs aos sindicatos dos guardas prisionais um estatuto remuneratório igual ao da PSP e a promoção de 100 guardas. O Sindicato Independente já recusou a proposta. O Sindicato Nacional ainda está a estudá-la. A tutela avisou que, ou aceitam e terminam já a greve, ou então vão negociar com o próximo governo.

Segundo apurou o JN, o Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) e o Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional (SICGP) foram chamados ao Ministério da Justiça na tarde de ontem, terça-feira. No encontro com o chefe de gabinete da ministra foi-lhes proposto um estatuto remuneratório similar ao da PSP e a promoção de 100 guardas prisionais.

O SICGP recusou mas o SNCGP ainda está a analisar a proposta. Porém, terá de tomar uma decisão rapidamente pois a tutela fez um ultimato: ou aceitam esta proposta e desmarcam já a greve ou então vão ter de negociar com o próximo governo. Recorde-se que a greve dos aguardas prisionais dura já desde o início do mês de dezembro e só tem final previsto para o próximo ano.

Protestos em Paços de Ferreira por falta de "cantina"

A insatisfação continua a entre os reclusos que, por causa da greve, estão a sofrer limitações nas visitas e nos produtos que podem comprar. Esta manhã de quarta-feira, dois contentores de lixo foram incendiados no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira porque os presos exigem "cantina" - o acesso à loja da prisão e à compra de tabaco e de produtos alimentares e de higiene.

Todavia, de acordo com os serviços mínimos decretados pela Comissão Arbitral, quem teve acesso à "cantina" na passada semana, como sucedeu em Paços de Ferreira, já não tem acesso a ela esta semana.

Imobusiness