Baião

Homem de 74 anos explorava destilaria clandestina

Homem de 74 anos explorava destilaria clandestina

GNR descobriu 4200 litros de aguardente produzida de forma ilegal e que seria vendida a particulares, cafés e restaurantes. Prejuízo de 30 mil euros só em impostos que não foram pagos

Um homem de 74 anos explorava uma destilaria clandestina numa freguesia do concelho de Baião, que produzia aguardente para abastecer particulares, mas também estabelecimentos comerciais. O negócio foi desmantelado, na terça-feira, pela GNR, que encontrou no interior de dois armazéns 4200 litros de álcool, com um valor estimado de 37 mil euros. 30 mil euros deste montante corresponde a impostos que o septuagenário não pagava.

Segundo o JN apurou, a destilaria clandestina foi descoberta no âmbito de ações de fiscalização que a Unidade de Ação Fiscal, através do Destacamento de Ação Fiscal do Porto da GNR, realizou nos últimos dias no norte do país. Foi através destas que os militares identificaram dois armazéns, situados junto à estrada nacional que atravessa aquela localidade, e que estavam licenciados para a atividade industrial.

Apesar do aspeto degradado, os armazéns albergavam todo o material necessário à produção de álcool, inclusive duas peças em cobre que há mais de 40 anos são usadas no fabrico de bebidas. No interior do mesmo espaço, a GNR encontrou 4200 litros de aguardente pronta a ser vendida não só a particulares que ali recorriam para comprar a bebida, como também a cafés e restaurantes onde era servida aos clientes.

ver mais vídeos