Tribunal

Homem que matou a mulher em Esmoriz fica em prisão preventiva

Homem que matou a mulher em Esmoriz fica em prisão preventiva

O homem suspeito de ter esfaqueado mortalmente a mulher no passado sábado em Esmoriz, Ovar, ficou esta segunda-feira em prisão preventiva.

O suspeito, de 51 anos, que foi detido em flagrante delito após o crime, foi presente esta segunda-feira a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa.

"Realizado o interrogatório, o tribunal considerou fortemente indiciada a prática pelo arguido de crime de homicídio qualificado", disse a mesma fonte.

A decisão do juiz de instrução criminal foi justificada por "entender existir perigo de fuga e ainda perigo de perturbação grave da ordem e tranquilidades públicas".

Em declarações aos jornalistas, as advogadas Teresa Azevedo e Ana Márcia Azevedo, que representam o arguido disseram que o alegado homicida não prestou declarações durante o interrogatório.

"O arguido manteve-se em silêncio. É um direito que lhe assiste. Vamos ficar a aguardar os ulteriores termos do processo. O arguido está calmo, está emocionado. Falou com o filho, depois de saber a medida de coação", referiu a advogada Teresa Azevedo.

A causídica negou ainda a existência de um historial de violência doméstica na família.

"Violência doméstica nunca existiu. Isso é falso", disse Teresa Azevedo, adiantando que o que aconteceu foi um episódio isolado.

O crime ocorreu no passado sábado, na residência do casal, em Esmoriz, Ovar.

O arguido terá esfaqueado mortalmente a esposa, de 51 anos, num quadro de violência doméstica.

A GNR chegou ao local poucos minutos após a ocorrência dos factos, tendo detido em flagrante delito o seu autor.

A investigação passou para a Polícia Judiciária (PJ), por a situação configurar a prática de um crime de homicídio.

"Após a realização das necessárias diligências de investigação foi possível apurar que as agressões com arma branca, que foi posteriormente apreendida, atingiram partes vitais do corpo da vítima, tendo provocado a morte da mesma, apesar da pronta assistência médica de emergência que se deslocou ao local", refere a PJ em comunicado hoje divulgado.

De acordo com o comandante dos Bombeiros de Esmoriz, a corporação foi alertada para a situação pelas 14:50, através de um telefonema que dava conta de uma agressão relacionada com violência doméstica.

"Quando chegámos ao local, foi o suposto agressor, o marido, que abriu a porta. A vítima estava em paragem cardiorrespiratória. Iniciámos manobras para reverter a situação, mas não conseguimos. O agressor esteve sempre pacífico até à chegada das autoridades, altura em que foi detido", acrescentou.