Crime

Homicida de freira aplicou golpe "mata-leão" e violou-a depois de morta

Homicida de freira aplicou golpe "mata-leão" e violou-a depois de morta

O homem detido, esta segunda-feira, por ter assassinado uma freira de 61 anos, em São João da Madeira, terá violado a vítima já depois de a ter estrangulado com um golpe "mata-leão".

Em comunicado, a Polícia Judiciária explica que "o detido, após ter conseguido atrair a vítima até ao interior da sua habitação, com o pretexto de lhe oferecer um café por esta o ter transportado na sua viatura até ali", referiu-lhe que com ela queria manter relações sexuais, o que foi recusado.

O homem, de 45 anos, que tinha saído da prisão há três meses após cumprir pena por violação, "recorreu à força física aplicando à senhora, ao que tudo indica, um golpe de estrangulamento denominado mata-leão que terá sido a causa da morte". De seguindo, refere a polícia, "deitou-a sobre a cama e terá mantido relações sexuais".

Após longas horas de interrogatório e só de madrugada, o suspeito foi detido pela Polícia Judiciária.

A freira, apelidada de "Tona", era muito conhecida em São João da Madeira por ser radical. A população está em choque. O carro da freira estava estacionado à porta da casa de Alfredo, conhecido por "Tito", que fica a 10 minutos da casa de Antónia. A freira terá saído de casa para ir à missa, pelas 8 horas, mas nunca chegou a entrar na igreja, onde ficava sempre no mesmo lugar. A mãe, com quem ela vivia, já teria telefonado a hospitais e Polícia.