Premium

Homicida em jogo da sueca alegou legítima defesa

Homicida em jogo da sueca alegou legítima defesa

Suspeito de homicídio em Vila Real, no domingo à noite, disse à PJ ter sido atacado por 15 pessoas e quis defender-se a tiro. Desmentido por testemunhas.

O indivíduo de 47 anos detido pela PJ por ter provocado a morte, a tiro, de um bancário, no fim de um torneio de jogo da sueca em Tuizendes, Vila Real, alegou ter praticado o crime em "legítima defesa". O juiz não deu crédito a esta versão e colocou em prisão preventiva o empresário, dono de vários talhos na região.

Paulo Clemente tentou explicar às autoridades ter sido atacado por um grupo de 15 pessoas que também participaram no torneio, organizado pelo Grupo Unidos de Tuizendes, domingo à noite. Sentindo perigo, desatou aos tiros que resultaram na morte de Luís Matos, 50 anos, residente em Felgueiras, e que era subgerente na agência de Fafe da Caixa de Crédito de Agrícola Mútuo. Outras três pessoas, de 44, 46 e 54 anos, sofreram ferimentos graves, tendo sido hospitalizadas.