Investigação

Homicida queria acabar relação com empresário de comunicação

Homicida queria acabar relação com empresário de comunicação

O jovem, de 24 anos, que matou José Manuel Costa, 30 anos mais velho, na sua residência, em Sintra, em meados de agosto, não queria continuar a relação amorosa com o empresário de comunicação.

Foi esse facto que gerou a discussão que terminou em homicídio. A vítima foi esfaqueada por 17 vezes. O arguido, detido esta semana pela Polícia Judiciária (PJ) e colocado em prisão preventiva, já confessou o crime.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, o homicida, de nacionalidade brasileira, mantinha outros relacionamentos amorosos com empresários que, tal como José Manuel Costa, o sustentariam financeiramente.

A relação entre ambos era conturbada e marcada pelos ciúmes do mais velho. Há semanas, chegaram a separar-se, mas reataram. O empresário quereria uma relação exclusiva e, para lhe comunicar este desejo, chamou o namorado a sua casa, na noite de 12 de agosto.

A conversa acabou por azedar quando o assunto passou a ser as outras relações amorosas do jovem, que acabou por agarrar uma faca de cozinha e desferir 17 facadas em várias partes do corpo do empresário.

De seguida, abandonou a residência, levando com ele a arma, que terá abandonado na via pública. No dia seguinte, José Manuel Costa foi encontrado ensanguentado, caído no chão, num cenário que indiciava um crime violento.

Fugiu para Espanha

A PJ de Lisboa começou então a passar a pente fino a vida do empresário, até saber com quem ele tinha estado naquela noite. Não existiam sinais de arrombamento nas portas da residência e nenhum bem tinha sido levado. Tudo indicava, portanto, que o homicida era conhecido da vítima.

As investigações levaram os inspetores até à identidade do jovem brasileiro, que entretanto se tinha ausentado para Espanha. Mas regressou a Lisboa pouco tempo depois e passou a ser monitorizado pelos inspetores. Foi detido na segunda-feira.

A captura do suspeito permitiu a realização de buscas domiciliárias e a recolha do seu ADN que, comparado com os vestígios biológicos encontrados na casa da vítima, consolidaram a prova já existente e o colocaram-no no local do crime.

Sem possibilidades de desmentir todos os indícios acumulados ao longo da intensa investigação da PJ, perante as autoridades o jovem assumiu ter assassinado José Manuel Costa, o fundador da empresa de comunicação GCI e atualmente administrador da Sustainable Society Initiative. Mas terá apresentado o caso como se tivesse sido o empresário a agredi-lo primeiro. Ainda assim, ficou em prisão preventiva e já está na cadeia.

Escapou de carro

Quando decidiu ir para Espanha, o homicida atravessou a fronteira de carro e regressou da mesma forma.

Ajuda financeira

José Manuel Costa ajudava financeiramente o homicida, que estava atualmente desempregado.