Tribunal

Idoso francês acusa mulher de Viseu de falsificar assinaturas em cheques

Idoso francês acusa mulher de Viseu de falsificar assinaturas em cheques

Um cidadão francês de 81 anos acusa uma mulher de Viseu de ter falsificado a sua assinatura num livro de cheques que lhe pertencia.

Fernanda Costa, de 44 anos, está a ser julgada no tribunal de Viseu, acusada de ter burlado pelo menos quatro idosos franceses, em cerca de 350 mil euros.

Segundo o Ministério Público, os homens eram seduzidos pela arguida para a moradia onde vivia, na urbanização Vilabeira, em Repeses, Viseu, prometendo-lhes casamento, cuidados ou acompanhamento. Além de Fernanda, estão a ser julgados o marido, de 49 anos, o filho, de 23, e um amigo francês, de 64.

Em 2016, Daniel Lascourreges veio para Portugal com a mulher, que estava numa cadeira de rodas, com a promessa de cuidados e acompanhamento por parte de Fernanda, por quem se terá apaixonado. A vítima acusa a arguida de lhe ter retirado os documentos, cartões bancários e de lhe ter gasto muito dinheiro, nomeadamente 100 mil euros em 15 dias.

Daniel, que já havia admitido ter pago algumas dívidas de Fernanda, voltou esta quarta-feira, em tribunal, a explicar uma série de movimentos bancários, através de videoconferência. Assegurou nunca ter dado à arguida o livro de cheques, assinados e em branco, encontrado em sua casa. "Nunca lhe entreguei o livro de cheques. Foi ela [Fernanda] que falsificou as assinaturas", declarou.

Daniel Lascourreges disse ainda não se recordar se passou ou não um cheque de 71 mil euros. A arguida esclareceu que o cheque em causa serviu para pagar uma dívida, relativa a um apartamento, mas que Daniel nunca soube. "Ele nem me fazia perguntas", afirmou Fernanda que, na sessão anterior, tinha explicado que Daniel concordou pagar-lhe dívidas sob a condição de que, em troca, cuidaria de si e da sua mulher.

A vítima já tinha admitido ter pago algumas dívidas da arguida e de lhe ter oferecido um fio com um diamante, no valor de 1300 euros. Esta quarta-feira, contou que também fez uma transferência de cinco mil euros, para a ajudar, e confirmou ter assinado e preenchido um cheque no valor de 50 mil euros, sem, no entanto, saber qual o destino que lhe foi dado.

Já depois de ter regressado a França, Daniel diz ter vivido momentos difíceis. "Foi o desespero total. Eu e a minha mulher sentimo-nos enganados", lamentou.