Violência

Jovem acusa segurança de bar em Lisboa de agressão

Jovem acusa segurança de bar em Lisboa de agressão

Um jovem de 27 anos acusa o segurança de um bar no Cais do Sodré, em Lisboa, de o ter agredido sem justificação na madrugada de domingo. Ivan Castanheira, estudante, foi suturado na cara, depois de ter caído inanimado no chão.

A acusação é rejeitada por fonte do estabelecimento, que, ao JN, garante que o jovem, então bastante embriagado, ficou ferido ao cair ao chão agarrado a outra pessoa que, na altura, o tentava acalmar.

Tudo terá acontecido pelas 5 horas de domingo, naquela que é uma das principais zonas de diversão noturna da capital. Ivan Castanheira estaria a festejar o aniversário de uma amiga num bar da Rua de São Paulo, quando um dos outros jovens do grupo que integrava entornou, inadvertidamente, um copo de cerveja sobre si. O amigo foi então buscar bebida para os dois. Terá sido nessa altura que, segundo a sua versão, Ivan Castanheira terá sido visado por um dos seguranças do estabelecimento de diversão noturna.

"Sinto um braço a envolver-me um pescoço e arrastar-me para fora do bar", recorda, ao JN, o jovem, residente em Loures e cliente habitual daquela discoteca. Terá sido já fora do estabelecimento que a agressão terá ocorrido.

"Perguntei-lhe por que é que estava a fazer isso, que eu não estava a fazer nada de mal, e ele respondeu-me com um murro na cara. Eu caio e bato com a cabeça no chão", conta o estudante de um curso profissional, que acabaria por ser transportado para o Hospital de São José, em Lisboa, depois de, garante, a PSP ter sido chamada ao local. Nessa altura, já os seus amigos teriam ido à sua procura.

A versão é bem distinta da apresentada, ao JN, por fonte do estabelecimento. Segundo esta fonte, o jovem foi abordado pelo segurança apenas depois de uma empregada ter ido à porta queixar-se, "a chorar", que não sabia o que fazer para o controlar. Ivan Castanheira estaria, já nessa altura, bastante embriagado e a "cair em cima" dos restantes clientes da discoteca.

O segurança ter-se-á então dirigido ao interior do bar e dito ao estudante para ir "tomar um bocado de ar" - algo que este terá recusado, questionando o porquê de estar a ser expulso pelo estabelecimento. De acordo com a mesma fonte, o vigilante terá então agarrado pelo braço Ivan Castanheira, que, já, no exterior terá danificado, com pontapés, vários bens. De seguida, terá regressado ao bar e insultado os presentes.

Terá sido nessa altura que foi agarrado por uma outra pessoa, com quem terá caído, abraçado, ao chão, ferindo-se ao bater num paralelepípedo do passeio.

Suturado no sobrolho e no nariz, Ivan Castanheira terá agora de estar duas semanas sem sair de casa. "Nem consigo abrir bem os olhos", desabafa.

Contactada pela JN, fonte oficial do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP confirmou que foi chamada ao local da ocorrência, tendo identificado todos os intervenientes. O caso foi comunicado ao Ministério Público e será agora alvo de investigação pela Divisão de Investigação Criminal daquela força policial.