Crime

Julgado por burlar funerárias a partir da cadeia com telemóvel

Julgado por burlar funerárias a partir da cadeia com telemóvel

Allan Sharif ficou conhecido por assaltar bancos no estrangeiro por telefone e cumpria pena por outras burlas. Agora, vai ser julgado por burlas a funerárias, feitas a partir da cadeia.

Allan Guedes Sharif, o luso-americano que ficou conhecido por tentar assaltar um banco em Miami por telefone e de ter burlado várias instituições financeiras internacionais está a braços com um novo processo judicial que começa amanhã, quarta-feira, a ser julgado no Tribunal de Aveiro. Desta vez responde por quatro crimes de burla a funerárias, efetuadas a partir da cadeia.

Em 2014, quando se encontrava detido na Guarda no âmbito de outros processos, decidiu levar a efeito mais um plano de burla, desta vez tendo as funerárias como alvo.

Começou por lhes solicitar a transferência de quantias monetárias e respetivo depósito em contas bancárias, com o pretexto de assim proceder à transladação dos corpos de familiares falecidos num país estrangeiro, para Portugal, comprometendo-se a entregar os serviços às respetivas funerárias.

Para os depósitos provenientes das funerárias usou contas bancárias de familiares e pessoas conhecidas, alguma das quais com quem estava detido e que depois lhe faziam chegar as quantias em causa.

Chegou a usar um companheiro, recluso na Guarda, para que este disponibilizasse uma conta bancária sua para receber uma certa quantia monetária, justificando que a mesma seria enviada por um familiar, residente no estrangeiro.

Este recluso forneceu-lhe o número da conta da namorada para desta forma ser transferido o dinheiro em causa.

O processo teve início depois de uma das funerárias visadas ter apresentado queixa contra desconhecidos, após a receção de uma chamada de um ​​​​​​​indivíduo que afirmava estar na Alemanha e que precisava de proceder à trasladação de um cadáver para Portugal.