Premium

Lisete quer libertar marido que ajudou a prender por violência doméstica

Lisete quer libertar marido que ajudou a prender por violência doméstica

Casaram quando ele já estava condenado e agora cumpre pena. Diz que mentiu para se vingar. Pedem a revisão da sentença.

O que leva uma mulher a casar com o homem que ajudou a condenar por violência doméstica e a querer livrá-lo da cadeia? Desde logo, segundo a sua própria, ter mentido por vingança por ele a ter deixado e estar arrependida. Mas muitas vezes o arrependimento surge associado ao medo e há também dinâmicas na violência conjugal, bem identificadas pelos técnicos, em que a culpa pela possibilidade de o agressor ir parar à cadeia, ou a crença na sua regeneração, levam as vítimas a reatar a relação. No caso de Lisete, a reconciliação acabou em matrimónio e aconteceu quando o agressor, Tiago, já estava condenado.

Ainda o julgamento não terminara e já Lisete dizia que tinha mentido, que nunca tinha sido agredida e que, na altura, apenas tinha querido vingar-se de Tiago, que é o homem da sua vida. E diz ter realizado "um sonho" ao casar-se com ele. Juntos estão agora a tentar tirá-lo da cadeia, onde já cumpre a pena. É o Supremo Tribunal de Justiça que vai decidir.