Amarante

Mandante do crime na boîte Meia Culpa nega autoria do massacre

Mandante do crime na boîte Meia Culpa nega autoria do massacre

Condenado pelo fogo na boîte de Amarante que matou 13 pessoas e feriu 22, em 1997, José Queirós diz que dorme de "consciência tranquila".

O dia 16 de abril de 1997 acordou sob o signo de tragédia em Amarante: 13 pessoas morreram e 22 ficaram gravemente feridas quando três encapuzados atearam fogo ao interior da boîte Meia Culpa que estava cheia. Continua a ser o pior crime de que há memória nos últimos 50 anos em Portugal. Os arguidos foram condenados a 25 anos de cadeia. Hoje, precisamente 21 anos depois, estão todos em liberdade. José Queirós, à data dono da boîte Diamante Negro e o mandante do crime à luz da Justiça, cumpriu 19 anos e foi o último a ser libertado. Está em liberdade condicional desde o dia 10 de maio de 2017. Aos 70 anos, a reintegração social de José Queirós tem passado pelo trabalho de arrumador num parque de estacionamento.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

ver mais vídeos