Premium

Marido queixa-se da mulher lhe dar vinho com soda cáustica

Marido queixa-se da mulher lhe dar vinho com soda cáustica

Um homem de 47 anos queixou-se de ter sido vítima de tentativa de envenenamento na freguesia da Estela, na Póvoa de Varzim.

O trabalhador da construção civil acusa a mulher, por ter sofrido queimaduras no lábio, céu da boca e língua. A GNR apreendeu uma garrafa de vinho com vestígios de soda cáustica.

A vítima conta que o caso começou na sexta-feira de manhã, quando provou uma sandes que a mulher lhe tinha feito para levar para o lanche da manhã. Sentiu um "sabor estranho". Suspeitou. Deitou o pão fora. À hora do almoço, já em casa, à mesa, desconfiado, provou o vinho com um pequeno gole. O ardor que sentiu na boca não lhe deixou dúvidas: era alvo de envenenamento. Pegou no copo e na garrafa e dirigiu-se ao posto da GNR, onde formalizou a queixa. A garrafa e o copo foram apreendidos e entregues ao Ministério Público. Continham vestígios de soda cáustica, misturada com vinho.

Segunda-feira, o homem foi ao Instituto de Medicina Legal para fazer perícias médicas. Apresenta queimaduras no lábio, céu da boca e língua "compatíveis com a ingestão de um produto altamente corrosivo".

À GNR, o indivíduo disse desconfiar da mulher com quem continua a coabitar, apesar de estar em vias de separação, e com quem tem divergências relacionadas com a propriedade da habitação. O casal tem três filhos, de 11, 14 e 18 anos.

A soda cáustica é altamente corrosiva. É muito utilizada no fabrico de papel, tecidos e detergentes e, ocasionalmente, a nível doméstico, para a desobstrução de canalizações. A sua inalação pode ser mortal e a ingestão pode causar, além de queimaduras na boca, danos graves e permanentes no sistema gastrointestinal.

ver mais vídeos