Premium

Mercado negro das cadeias dispara com greve

Mercado negro das cadeias dispara com greve

A greve dos guardas prisionais está a provocar um aumento substancial no preço dos produtos comercializados no mercado negro existente nas cadeias. Já há maços de tabaco vendidos entre os reclusos a mais de 25 euros e as latas de tabaco para enrolar atingem os 100 euros.

Também o café, o atum em conserva, os pacotes de bolachas e produtos de higiene como o papel higiénico ou pasta dos dentes estão a atingir preços proibitivos para a maioria da comunidade prisional.

Os roubos e as agressões entre os presos também começam a ser cada vez mais frequentes. As vítimas são sempre quem tem capacidade financeira para comprar o pouco que resta nas prateleiras dos bares dos estabelecimentos prisionais. E também quem não paga as dívidas contraídas.