Premium

Ministério Público quer prisão preventiva para Bruno de Carvalho

Ministério Público quer prisão preventiva para Bruno de Carvalho

Ex-presidente do Sporting indiciado por 56 crimes, incluindo um de terrorismo, no inquérito sobre o ataque à Academia de Alcochete.

O Ministério Público (MP) quer que o ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho e o ex-líder da Juve Leo Nuno Vieira Mendes ("Mustafá") tenham o mesmo destino que os outros 38 detidos pelo ataque à Academia de Alcochete, ou seja: a prisão preventiva. E vai propô-lo ao juiz de instrução do tribunal do Barreiro, perante o qual ambos serão hoje levados, sob fortes medidas de segurança.

Bruno de Carvalho, que foi detido em casa no último domingo, está indiciado por 56 crimes, incluindo terrorismo. Além deste, o MP imputa ao ex-líder sportinguista crimes de dano com violência, sequestro, ofensa à integridade física, detenção de arma proibida e ameaça agravada. Praticamente os mesmos pelos quais respondem os restantes alegados autores do ataque de 15 de maio.