Premium

Mulher agredida teme morte por inação da justiça

Mulher agredida teme morte por inação da justiça

Uma vítima de violência doméstica está desesperada e acusa as autoridades, sobretudo judiciais, de nada fazerem relativamente às queixas que tem apresentado contra o ex-companheiro.

E depois de ter tido os pneus do carro cortados à facada na véspera de Natal, teme que tudo possa "acabar da pior forma". Isto porque nem o aparelho de teleassistência, que lhe foi atribuído no âmbito do processo judicial em curso, funcionou quando precisou de ajuda.

"Maria" manteve a relação durante três anos, apesar de, logo nos primeiros meses, ter sido agredida, mesmo estando grávida. Os episódios de violência sucederam-se e levaram a que, em junho, se refugiasse na casa da mãe com os três filhos, dois dos quais tidos com o agressor.