Automóveis

Oficinas que tiravam filtros apanhadas pela polícia espanhola

Oficinas que tiravam filtros apanhadas pela polícia espanhola

Oito proprietários de oficinas em Espanha foram constituídos arguidos pela Polícia Nacional, suspeitos de alterarem os filtros de partículas de automóveis a diesel.

A investigação ainda continua, uma vez que foram identificadas mais 80 oficinas em Espanha que se dedicam a esta atividade.

As oficinas detetadas faziam as alterações por cerca de 200 euros e tinham bastantes clientes, uma vez que a substituição legal dos filtros de partículas (FAP) ronda em Espanha os 1200 euros. No entanto, a alteração levava a sérios danos para o meio ambiente, uma vez que os gases nocivos chegavam à atmosfera sem controlo, uma questão que está também na génese do escândalo Volkswagen.

A operação decorreu em Madrid e envolveu a polícia e elementos de Estado ligados à fiscalização ambiental. Em comunicado, a polícia espanhola explicou que as oficinas não só alteravam os FAP como entravam também na centralina dos veículos com o intuito de apagar a informação que ficaria registada pela ausência dos filtros, impedindo assim que essa falta fosse detetada nas inspeções.

Esta ação ilegal permitia ainda aumentar a potência dos veículos e os anúncios relativamente a estas várias possibilidades eram publicitadas na internet, com moradas completas e contactos das oficinas.

A Polícia Nacional explica no comunicado que os problemas nos filtros surgem mais frequentemente nos percursos urbanos, mais curtos e descontínuos, em que os motores não atingem a temperatura suficiente para destruir os resíduos que ficam nos filtros.

Recorde-se que ainda recentemente o JN denunciou situações ilegais semelhantes no nosso país, mas não se conhece até agora qualquer ação policial para as contrariar.

ver mais vídeos