"Last Smoke"

Oito detidos em operação de contrabando de tabaco na zona de Lisboa e Setúbal

Oito detidos em operação de contrabando de tabaco na zona de Lisboa e Setúbal

Oito pessoas foram detidas na sequência da operação "Last Smoke" dirigida ao contrabando de tabaco, que decorreu entre 12 e 18 de junho na zona de Lisboa e Setúbal, anunciou hoje a Guarda Nacional Republicana (GNR).

Em comunicado, a GNR adianta que a operação visou o desmantelamento de uma "rede criminosa internacional que, de forma dissimulada e fraudulenta, se dedicava à introdução de produtos de tabaco em território nacional, que depois distribuía para comercialização ilícita nos distritos de Lisboa e Setúbal".

No âmbito da ação, foram, segundo a GNR, feitas 29 buscas, das quais nove domiciliárias e outras 20 não domiciliárias, a armazéns e veículos, resultando na apreensão de 339.300 cigarros de várias marcas, 49 quilos de folha de tabaco e 33.865 euros em numerário.

Durante a operação foram também apreendidas 3.704 doses de haxixe, 11 veículos, uma pistola elétrica, uma pistola, calibre 6,35 milímetros, uma arma de arremesso e diversos artigos utilizados para triturar, acondicionar e embalar a folha de tabaco.

A GNR adianta que foram detidos oito homens, com idades entre os 33 e os 67 anos, de nacionalidades portuguesa e espanhola.

"A presente operação foi desencadeada no âmbito de uma investigação que já decorria há cerca de um ano, e ao longo da qual foram detidos um total de 13 suspeitos, apreendidos cerca de 1.690 quilos de folha tabaco (que dariam para produzir na ordem de um milhão e 690 mil cigarros) e 538 mil cigarros manufaturados que, se tivessem sido introduzidos no consumo, se traduziriam numa vantagem patrimonial ilegítima de cerca de 471 mil euros", é referido na nota.

Os detidos foram indiciados da prática dos crimes de contrabando qualificado, associação criminosa, fraude fiscal, posse de arma proibida e tráfico de estupefacientes.

A GNR indica ainda que "um dos detidos foi conduzido ao Estabelecimento Prisional de Lisboa por sobre o mesmo recair um mandado de detenção, para cumprimento de pena de prisão de sete anos e seis meses".

Nesta operação, participaram 50 militares da Unidade de Ação Fiscal, com a colaboração do Comando Territorial de Setúbal e da Unidade de Intervenção, bem como da Polícia de Segurança Pública.