Incêndios

PJ investiga fogos suspeitos em Cascais

PJ investiga fogos suspeitos em Cascais

A Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa e Vale do Tejo está a investigar a origem suspeita de dois incêndios que, com um curto intervalo de três dias, deflagraram na área do Pisão, em Alcabideche, na área do Parque Natural Sintra e Cascais.

O primeiro incêndio atingiu uma área de mato de cerca de mil metros quadrados e não chegou a pôr a risco o Centro Social do Pisão, entretanto protegido pelos Bombeiros.

Já esta segunda-feira, à noite, a poucos metros da primeira área flagelada, um novo incêndio, por detrás das instalações da construtora Jodofer, devastou uma área de cerca de 3 mil metros quadrados de pinhal, avança o jornal digital Cascais24.

"A ausência de vento acabou por facilitar o nosso trabalho", disse José Palha Gomes, comandante dos Bombeiros de Alcabideche, segundo o qual "não fora este fator, a situação podia ter-se complicado, apesar da intervenção musculada na primeira fase de combate".

Nas operações noturnas de combate a este segundo incêndio deflagrado na mesma área geográfica, estiveram empenhados 52 operacionais, apoiados por 15 veículos, dos Bombeiros de Alcabideche, Cascais, Estoril, Parede, São Pedro de Sintra e Almoçageme.

Entretanto, existem fortes suspeitas de que os dois incêndios podem ter origem criminosa, até porque num dos incêndios foi visto na área um antigo pirómano, condenado e entretanto em liberdade.