"Operação Teia"

PJ realizou buscas na Câmara de Matosinhos

PJ realizou buscas na Câmara de Matosinhos

A Polícia Judiciária realizou, esta manhã, buscas na câmara de Matosinhos, no âmbito da operação Teia, que levou à detenção dos presidentes de câmara de Santo Tirso e Barcelos, para além do presidente do IPO e da mulher do autarca tirsense, a empresária Manuela Couto.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, na câmara de Matosinhos, os inspetores recolheram documentos no gabinete da presidência, onde trabalha, como chefe de gabinete, Marta Laranja Pontes, filha do presidente do IPO.

Ainda pelo que apuramos, a câmara de Matosinhos nunca teve contratos com as empresas de comunicação de Manuela Couto, pelo que as buscas apenas terão que ver com a filha do presidente do IPO, casada com Tiago Mata, vereador da autarquia. O objetivo da recolha de informação do gabinete de apoio à presidência não é ainda conhecido.

Recorde-se que a Polícia Judiciária deteve, esta quarta-feira, o presidente do Instituto Português de Oncologia do Porto, Laranja Pontes, os autarcas de Santo Tirso e de Barcelos e também a empresária Manuela Couto, por suspeitas de corrupção, tráfico de influência e participação económica em negócio no âmbito da contratação pública.

Em comunicado, a PJ refere que a investigação, "centrada nas autarquias de Santo Tirso, Barcelos e Instituto Português de Oncologia do Porto, apurou a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de autarcas e organismos públicos, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o objetivo de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular".