Premium

Polícia julgado em rede de segurança ilegal e extorsão

Polícia julgado em rede de segurança ilegal e extorsão

Grupo de 24 arguidos, liderado por dois homens, terá imposto à força serviços de proteção privada.

Um grupo de 24 arguidos está a ser julgado no Tribunal de Lisboa por crimes de associação criminosa, extorsão, coação, roubo, exercício de segurança privada, posse de arma proibida e ainda falsificação de documentos, num esquema de segurança musculada e cobranças difíceis, que contava com a colaboração de um agente da PSP, indiciado por agilizar a obtenção de documentos oficiais aos operacionais do grupo para proporcionar legalidade aparente.

De acordo com a acusação do Ministério Público (MP), o grupo era liderado por dois indivíduos que tinham organizado a estrutura por setores geográficos, com "chefes de zona", encarregados de assegurar que os estabelecimentos de diversão noturna contratassem os serviços das empresas que controlavam, tal como a Advanced World Security, que tinha sede na zona do Prior Velho, na Grande Lisboa.