PSP

Polícias do corpo de intervenção protestam em Belas

Polícias do corpo de intervenção protestam em Belas

Algumas dezenas de elementos do corpo de intervenção da PSP concentraram-se, esta terça-feira, junto às instalações da Unidade Especial de Polícia (UEP), em Belas, Sintra, para exigir a resolução de vários problemas que afetam estes polícias.

A vigília teve como finalidade chamar a atenção do Comandante da UEP para os problemas com que se debatem os elementos do Corpo de Intervenção, uma das cinco subunidades da UEP.

Os polícias do corpo de intervenção exigem uma atualização das ajudas de custo (atualmente têm um valor de 39 euros), o pagamento de horas extraordinárias, nomeadamente nos jogos de futebol, e um subsídio idêntico às das restantes subunidades da UEP, disse à agência Lusa Paulo Sousa, membro do Corpo de Intervenção da PSP e dirigente do Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública (SU/PSP).

Os elementos do corpo de intervenção queixam-se ainda das condições dos equipamentos de proteção individual, como coletes e capacetes balísticos, estando muitos fora do prazo de validade, bem como do excesso de horas de trabalho, adiantou Paulo Sousa.

Durante a vigília, uma comissão de cinco elementos do corpo de intervenção reuniu-se com o Comandante da UEP, a quem entregaram um caderno reivindicativo.

Paulo Sousa afirmou que sentiram por parte da hierarquia da PSP vontade em resolver os problemas, mas que há questões que terão que ser remetidas para o Ministério da Administração Interna (MAI).

Os elementos do corpo de intervenção aguardam agora uma resposta às suas reivindicações, pois, caso contrário, admitem avançar para novas formas de luta.