Manifestação

Polícias viram costas ao diretor nacional na celebração dos 152 anos da PSP

Polícias viram costas ao diretor nacional na celebração dos 152 anos da PSP

Centenas de polícias do Movimento Zero manifestaram-se em silêncio, esta sexta-feira, durante a cerimónia de celebração do Dia da Polícia, em Lisboa, que assinala o 152.º aniversário da Polícia de Segurança Pública (PSP).

O grupo de protesto nasceu após a condenação pelo Tribunal de Sintra, a 20 de maio, de oito polícias por agressões a seis jovens do bairro da Cova da Moura, na Amadora, em 2015. Desde então que se escusam a passar multas de trânsito e a intervir em bairros considerados problemáticos, exceto em situações de extrema gravidade, como forma de exigir melhores condições de trabalho, aumentos salariais e mais admissões na PSP.

Esta sexta-feira, centenas de elementos do Movimento Zero, entre agentes da PSP e da GNR, ouviram o discurso do diretor nacional da PSP, Luís Farinha, na Praça do Império, em Belém, de costas voltadas para a cerimónia.

De seguida, os polícias, vestidos na sua maioria com "t-shirts" brancas, abandonaram pacificamente as comemorações, às primeiras palavras do palanque do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.