Exclusivo Edição Impressa

Presidente da Câmara suspeito de beneficiar empresa dos pais

Presidente da Câmara suspeito de beneficiar empresa dos pais

O presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva (PSD), foi constituído arguido por suspeita de favorecimento dos pais.

Em causa está a adjudicação, por ajuste direto, de serviços a uma empresa de consultadoria, durante dois anos, no valor total de 56,8 mil euros.

A situação foi comunicada ao Ministério Público pela Inspeção-Geral das Finanças, em maio de 2014, dando conta que o autarca Joaquim Mota e Silva convidou só uma única entidade, a empresa dos pais, para prestar consultadoria em finanças, economia e gestão, estando em causa 21 mil euros anuais mais IVA, totalizando, em dois anos, 56847,50 euros.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa