Polémica

Presidente do Instituto do Desporto processa antecessor por difamação

Presidente do Instituto do Desporto processa antecessor por difamação

O presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Vítor Pataco, vai processar o antecessor, Augusto Baganha, por "diversas afirmações, insinuações e acusações", que colocam em causa o seu bom nome.

Em comunicado enviado à agência Lusa, Vítor Pataco anunciou que vai recorrer "às vias judiciais adequadas para que o Dr. Augusto Baganha responda por esta conduta, com vista, designadamente, a justa e cabal reposição da verdade".

Segundo o mesmo comunicado, em causa está a entrevista concedida à SIC por Baganha, que foi exonerado da presidência do IPDJ, durante a qual "proferiu diversas afirmações, insinuações e acusações que, sem qualquer fundamento, remetem para supostos factos que não correspondem minimamente à verdade".

"As referidas acusações colocam em causa o meu bom nome, a minha ética profissional e a minha responsabilidade no exercício de funções públicas, produzindo consequências que o Dr. Augusto Baganha não podia deixar de antecipar, por terem sido proferidas em estação televisiva, em horário nobre de audiência, o que manifestamente levaria, como levou, à sua posterior ampla divulgação por outros órgãos e meios de comunicação social", acrescentou.

Baganha acusou o ex-vice-presidente de beneficiar o Benfica, ao reter o processo que levaria depois à interdição do Estádio da Luz.

"Quando se dá a interdição do campo, tive necessidade de avocar o processo. Era algo que estava na competência, que se tratava de regulamentos de segurança, do meu colega ou ex-colega do conselho diretivo, que agora vai assumir as funções de presidente, mas fui eu que as tive que avocar", disse Baganha à SIC.

"Ao reter esse processo o Benfica beneficiou com isso, porque continuava a praticar a ilegalidade", acrescentou Baganha, sustentando que estava em causa "o cumprimento da lei".

Vítor Pataco, que o ex-diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, diz ter trabalhado como vice-presidente da Sport Lisboa e Benfica Multimédia, entre 2002 e 2003, preside desde terça-feira ao IPDJ, sucedendo a Baganha, de quem era vice-presidente.