Tribunal

Preventiva para empresário e segurança suspeitos de incêndio mortal no Porto

Preventiva para empresário e segurança suspeitos de incêndio mortal no Porto

O dono de uma imobiliária e um dos alegados autores de um incêndio que, em março, causou a morte de um homem no centro do Porto vão ficar em prisão preventiva. O terceiro suspeito ficará sujeito a apresentações obrigatórias.

As medidas de coação foram decretadas esta segunda-feira na sequência da detenção, na passada sexta-feira, de três suspeitos do crime de fogo posto.

O incêndio, ocorrido a 2 de março na rua Alexandre Braga, no centro do Porto, causou a morte de um homem de 55 anos. A pressa em revender o imóvel e a recusa dos moradores em abandonar as suas casas terá sido o motivo do crime ordenado pelo empresário de nacionalidade chinesa e executado pelos dois seguranças que para ele trabalhavam.

Segundo apurou a investigação a dupla incendiou três pontos distintos das escadas, painéis e suportes em madeira de acesso ao terceiro andar, do prédio onde vivia uma octogenária com os seus filhos, vindo a provocar a morte de um deles.

Dias antes, os mesmos indivíduos já teriam provocado uma ignição no mesmo prédio, contudo esta não teve desenvolvimento, por razões alheias à sua vontade.