Investigação

Prisão preventiva para "Carlos de Arouca"

Prisão preventiva para "Carlos de Arouca"

"Carlos de Arouca", indivíduo que, há uma semana, escapou da GNR de Arcozelo, em Gaia, ao pedir licença para fumar um cigarro, e que acabou por ser capturado na terça-feira, vai ficar em prisão preventiva.

Carlos fazia parte de um grupo de três toxicodependentes que executavam assaltos em parceria e que, nos últimos meses, puseram o Grande Porto em alvoroço com pelo menos 500 furtos. Detidos várias vezes, foram sendo libertados pelos tribunais, que apenas avaliavam cada crime isoladamente.

Furtos de veículos, assaltos a residências, empresas e lojas, roubos na via pública, tráfico de droga, abastecimentos de combustível com fugas e agressões. São estes os crimes pelos quais este trio está indiciado nas zonas de Gaia, Porto, Matosinhos, Santa Maria da Feira, Arouca e Cabeceiras de Basto, onde dão dores de cabeça às autoridades.

Na terça-feira, o Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Gaia conseguiu deter "Carlos de Arouca", indivíduo que, há uma semana, escapou da GNR de Arcozelo, ao pedir licença para fumar um cigarro.

Na semana passada, um dos cúmplices de Carlos, conhecido como "Crispim", ficou em prisão preventiva depois de ter tentado roubar um carro com a filha do ex-presidente da Câmara de Santa Maria da Feira no interior. Isto apenas cinco minutos depois de ter saído em liberdade do tribunal, onde tinha sido levado pelo furto de um veículo, em Arcozelo, Gaia, na companhia de "Carlos de Arouca".

Neste momento, só Dionísio "Sucateiro" continua a monte. É procurado por inúmeros casos. Um deles, envolvendo os três, aconteceu há três semanas em Arcozelo, onde furtaram um Opel Corsa. Nessa altura, "Crispim" e Carlos foram logo detidos. Dionísio conseguiu escapar.