Porto

Professor dá 500 euros por mês a pai que não quer perder a filha

Professor dá 500 euros por mês a pai que não quer perder a filha

Leu no JN sobre o drama de Armando e oferece-lhe 500 euros por mês.

Um leitor do JN, professor catedrático de Lisboa, prontificou-se na quarta-feira a pagar durante seis meses 500 euros de salário a Armando Sousa, de 50 anos, cuja filha de dois anos foi mandada para adoção pelo Tribunal de Família do Porto porque o pai está no desemprego e vive num quarto de pensão.

Para o professor, que pediu o anonimato, a notícia do JN deixou-o, juntamente com a sua família, "em estado de choque". De tal modo que, dizem, decidiram, "sem publicidade, ajudar este pai". Além desta ajuda, conforme noticiamos quarta-feira, Armando já tem casa - um apartamento em Avintes (Gaia) disponibilizado gratuitamente por outro leitor do JN - e poderá ter emprego nos próximos dias, a crer na efetivação de uma oferta que lhe foi feita por uma empresa do Porto.

O caso é urgente porque, a acreditar numa fonte que lida com processos do género, a adoção poderá ser rápida, "porque se trata de uma menina com apenas dois anos, muito bonita e de perfeita saúde física e mental, para a qual não faltarão candidatos a pais".

Tornando-se efetivo o emprego, Armando de Sousa já poderá juntar as novas condições ao recurso que, entretanto, o seu advogado enviou para o Tribunal da Relação do Porto, contestando a decisão da primeira instância. De salientar que nessa decisão, de 6 de dezembro último, que manda a criança para adoção, os juízes decretaram o "fim imediato" das visitas de Armando à menina, tendo em vista o fim dos laços parentais. No entanto, Armando readquiriu a esperança com a onda de solidariedade provocada pela notícia do JN. E diz que já tem "uma prendinha" para entregar à filha, acrescentando que este será o seu "pior Natal de sempre", se não o puder celebrar. "Sonho em entregar-lhe a prendinha, abraçá-la e dar-lhe um beijinho", concluiu.

Imobusiness