Premium

Reclama 532 mil euros ao Estado por erro judicial em caso de homicídio

Reclama 532 mil euros ao Estado por erro judicial em caso de homicídio

Esteve preso cerca de dois anos e meio pelo alegado homicídio de uma tia, mas acabaria por ser inocentado pela confissão espontânea de outro indivíduo, entretanto condenado.

Armindo Castro, estudante de criminologia que foi condenado a 20 anos de prisão em 2013 e definitivamente absolvido no ano passado, reclama agora ao Estado uma indemnização de mais de meio milhão de euros (532 mil).

O caso remonta a 2012, quando Odete Castro foi encontrada morta em casa, em Joane, Famalicão. Não havia dúvida de que era um homicídio. Armindo, sobrinho da vítima, foi logo encarado como um dos suspeitos. Acabaria detido poucas semanas depois e aceitou participar numa reconstituição do crime que confessara à Polícia Judiciária, pensando que a mãe estava implicada no crime. Pretenderia ilibá-la.