Premium

Refer condenada por morte de pintor eletrocutado há 19 anos

Refer condenada por morte de pintor eletrocutado há 19 anos

A viúva e as filhas do pintor que morreu eletrocutado em 2000, em Lisboa, vão receber 120 mil euros pelo acidente fatal. A primeira sentença demorou 11 anos e o recurso mais oito.

O Supremo Tribunal Administrativo confirmou uma sentença datada de 2011 que condena a Refer (Rede ferroviária nacional) a pagar uma indemnização de 120 mil euros, mais juros, à viúva e às duas filhas de um trabalhador que, há 19 anos, morreu eletrocutado quanto pintava o poste de uma catenária, num viaduto, perto da estação de Braço de Prata, em Lisboa.

No dia do acidente, a empresa subcontratada para a qual trabalhava o homem tinha pedido, como combinado, o corte da energia para poder começar os trabalhos. A Refer confirmou o desligamento. Porém, quando subiu ao poste para iniciar o serviço, o pintor sofreu uma descarga elétrica de entre 24 mil e 26 mil volts, que lhe causou morte imediata.