Premium

Reitor de Lisboa ilibado de abuso de poder

Reitor de Lisboa ilibado de abuso de poder

António Cruz Serra e o presidente da Faculdade de Arquitetura, Pardal Monteiro, foram investigados por causa de concurso e provas de agregação de professores.

O Ministério Público (MP) acaba de arquivar um inquérito sobre suspeitas de abuso de poder que recaíam sobre o reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra, e sobre o anterior presidente da respetiva Faculdade de Arquitetura, João Pardal Monteiro. A investigação demonstrou que os suspeitos interferiram na constituição do júri de provas de agregação pedidas por um professor e na fixação de critérios de um concurso para professor associado, mas não cometeram nenhum crime.

O procurador Válter Alves, do MP do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, deu como certos "vários pedidos efetuados pelo reitor para [serem feitas] alterações à composição de júris (quer do concurso para professor associado quer das provas de agregação)". Eram dirigidos, oralmente, ao então presidente do Conselho Científico da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (CC/FAUL), Jorge Moreira da Silva, visando os júris que este órgão, como lhe competia, aprovara.