Caso EDP

Ricardo Salgado em silêncio no DCIAP

Ricardo Salgado em silêncio no DCIAP

O antigo presidente do BES foi esta terça-feira interrogado durante menos de uma hora no Departamento de Investigação e Ação Penal no âmbito do chamado caso EDP. E remeteu-se ao silêncio.

Ricardo Salgado não prestou declarações e, à saída, pelas 11.25 horas, remeteu qualquer declaração para o seu advogado, que se escusou a divulgar qualquer detalhe sobre a inquirição.

"O que se passa dentro das paredes de justiça, na posição da defesa do dr. Ricardo Salgado, fica nas paredes da justiça. É a nossa manifestação de respeito pelo sistema de justiça", afirmou, aos jornalistas, Francisco Proença de Carvalho.

O antigo presidente do BES foi constituído arguido a 20 de abril, suspeito de ter corrompido Manuel Pinho, ministro da Economia entre 2005 e 2009 no Governo de José Sócrates, para que este favorecesse os interesses do Grupo Espírito Santo (GES), incluindo a participação do BES na EDP. Em investigação neste processo estão, nomeadamente, benefícios de mais de 1,2 mil milhões de euros alegadamente concedidos à principal elétrica nacional.

Este é o quarto processo desde 2014 em que Ricardo Salgado é arguido por suspeita de ter cometido crimes económicos. Até agora, foi acusado apenas no âmbito da Operação Marquês pela prática de 21 crimes, entre os quais dois de corrupção ativa, nove de branqueamento de capitais e três de fraude fiscal qualificada.