Feira

Sete anos de prisão para autor de disparos na rotunda da A29 em Espinho

Sete anos de prisão para autor de disparos na rotunda da A29 em Espinho

Foi condenado a sete anos de prisão efetiva o homem que, em 2018, disparou vários tiros contra um casal, na rotunda da A29, no acesso à cidade de Espinho. O juiz considerou os acontecimentos "demasiado graves" por terem ocorrido em plena via pública.

O homem, atualmente com 40 anos, foi condenado por dois crimes de homicídio agravado, na forma tentada. Sentenciado a cinco anos e meio por cada um deles teve, em cúmulo jurídico, uma pena única de sete anos de prisão.

No entanto, vai manter a atual medida de coação - prisão domiciliária com vigilância eletrónica - até trânsito em julgado da sentença.

O juiz considerou que este crime teve "uma gravidade acima da média, porque se passou na via pública". "Passou-se pelas 15 horas, num dia de verão, no acesso à cidade de Espinho que é uma cidade muito procurada pelas suas praias", disse.

Por isso, acrescentou, "é muito fácil imaginar alguns transeuntes que fossem a passar apanhar com uma bala num sítio que podia causar morte. O arguido não teve pejo em agir deste modo, mesmo nestas circunstâncias".

"As circunstâncias que foram praticadas são demasiado graves e exigem do tribunal uma resposta um pouco mais musculada", justificou, por fim, o juiz que deu como provados os factos constantes na acusação.

De acordo com o Ministério Público (MP), os factos ocorreram no dia 26 de julho de 2018, cerca das 15 horas. O arguido barrou o caminho ao casal em questão, junto à rotunda da A29, tendo a determinada altura efetuado um número indeterminado de disparos dirigidos aos ofendidos. Disparos esses que não os atingiram, "por razões alheias à sua vontade".

Perante o coletivo, o arguido explicou que vivia há vários anos com a filha do casal, que o MP o acusa de ter tentado balear, e que esse relacionamento não era aceite pelos pais da companheira.

Afirmou, ainda, que tinha sido por várias vezes alvo de ameaças de morte por parte do casal e seus familiares.

Confirmou o episódio ocorrido junto à rotunda da A29, mas justificou que só disparou depois do pai da sua companheira ter disparado em primeiro lugar. "Quis mostrar que também estava armado", referiu. Testemunho contrariado pelo queixoso que disse nunca ter "pegado numa arma na vida".