Justiça

Sete anos de prisão para irmãos assaltantes de bombas de combustível

Sete anos de prisão para irmãos assaltantes de bombas de combustível

Duo de assaltantes soma já mais de 42 anos de prisão em condenações.

O Tribunal da Feira condenou, esta quinta-feira de manhã, cada um dos dois irmãos Monteiro a sete anos de prisão por assaltos à mão armada a bombas de combustível.

No acórdão desta quinta-feira, os "Monteiro" foram condenados por quatro crimes de roubo agravado e um crime de falsificação de documento. Os factos remontam a 2017, altura em que efetuaram vários assaltos a postos de combustível na Feira e em Oliveira de Azeméis.

Um dos irmãos ficava dentro do carro enquanto o outro entrava nas lojas de conveniência e com a ameaça de uma caçadeira de canos serrados exigia a entrega do dinheiro. Nas deslocações usavam viaturas com matrículas falsas.

O Tribunal deu como provado a grande maioria dos factos constantes na acusação e que os dois arguidos confessaram.

Não ficou provado que tenham agredido à coronhada um funcionário de um posto de combustível em Argoncilhe, Feira, nem que no mesmo local se tenham apoderado de mais de 700 euros. O Juiz considerou que a verba roubada foi de apenas 270 euros.

Durante o julgamento os dois irmãos disseram-se arrependidos, pedindo ao Tribunal "uma nova oportunidade". Justificaram os atos com alegadas necessidades monetárias que estariam a viver e com a educação problemática de que foram alvo desde a juventude.

Os "Monteiro", que se encontram presos, foram já julgados num total de seis processos nos tribunais da Feira, Aveiro e Viseu, todos relacionados com assaltos à mão armada, com as penas a totalizarem mais de 42 anos de prisão, por cada um dos irmãos.

Resta ainda, o desfecho de um processo a decorrer no Tribunal de Aveiro, onde deverá depois ser efetuado o cúmulo jurídico das diferentes penas a que foram sujeitos.