Premium

Sociedade do crime chefiava burlas de milhões a empresas

Sociedade do crime chefiava burlas de milhões a empresas

Um grupo de cadastrados por crimes que vão desde burlas a tráfico de drogas e aos roubos armados, decidiu juntar-se e montar um esquema que lhes deu milhões a ganhar.

Montavam empresas que compravam todo o tipo de produtos sem os pagar, vendendo-os a preços de saldo a grandes empresas de distribuição. Um dos principais clientes foi a Henisa Cash&Carry, cujo sócio-gerente foi detido por recetação pela Polícia Judiciária (PJ) de Leiria, a meio da semana passada, juntamente com mais 17 pessoas. Os prejuízos ao Estado e a empresas ultrapassa os dez milhões de euros e as queixas continuam a chegar.

Artur Vieira, conhecido por "Pipão", Carlos Martinho, Nuno Barata, Manuel Machado, José Chalaça, ou Carlos Casegas juntam, entre todos, cadastros por crimes de falsificação de moeda, burla, tráfico de drogas ou assaltos à mão armada. Um ("Pipão") estava em liberdade condicional, dois tinham penas de prisão para cumprir (Barata sete anos e Machado 12) e outros dois (Martinho e Chalaça) já tinham sido presos este ano e estavam na cadeia, onde também foram alvo de buscas.

Imobusiness