Coimbra

Três condenados por rapto e violação de uma jovem

Três condenados por rapto e violação de uma jovem

O Tribunal de Coimbra condenou, esta terça-feira, três arguidos pelos crimes de rapto e violação de uma jovem, na altura com 18 anos, com as penas a variar entre os quatro e os oito anos de prisão. Um dos condenados é o pai da jovem.

O Tribunal deu como provado que os três arguidos agiram concertadamente para raptar a jovem no Natal de 2017, para que esta casasse com um deles. Ao futuro noivo foi ainda provado um crime de violação.

O pai da jovem foi condenado a cinco anos e seis meses de prisão, pelo crime de rapto. Também pelo crime de rapto, o pai do homem com quem a vítima seria obrigada a casar foi condenado a quatro anos de prisão, enquanto o seu filho foi condenado a oito anos de prisão, pelos crimes de rapto e violação.

O Tribunal entendeu não estar provado o crime de casamento forçado, uma vez que, entende o juiz, não houve qualquer ritual nesse sentido.

O caso remete a dezembro de 2017, quando a jovem, institucionalizada e a viver em Braga, foi obrigada a casar com um homem, que aproveitou uma saída precária da prisão para consumar o ato. A jovem foi mantida em cativeiro em Coimbra e obrigada a viver maritalmente com o homem.

Neste processo havia outros cinco arguidos, que foram absolvidos.