PSP

Um polícia ferido em desordem na estação de Queluz-Belas

Um polícia ferido em desordem na estação de Queluz-Belas

Um polícia ficou ferido, ao final da noite de sábado, numa desordem com mais de cem pessoas na estação ferroviária de Queluz-Belas, Sintra. Quase ao mesmo tempo, uma pessoa foi esfaqueada e outras duas agredidas numa festa no Monte Abraão, no mesmo concelho.

Inicialmente, a PSP transmitira que três jovens tinham sido esfaqueados e um polícia tinha ficado ferido em confrontos naquela estação, mas, já este domingo, a informação foi corrigida pela mesma força de segurança.

De acordo com fonte oficial do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, as autoridades foram chamadas pelas 23.30 horas de sábado à estação de Queluz-Belas, devido a uma desordem envolvendo cerca de 50 pessoas. No local, estariam, afinal, entre cem e 150 jovens, que terão arremessado garrafas contra os polícias, mal estes ali chegaram.

Uma parte acabaria por dispersar com o reforço do contingente policial, mas a maioria permaneceu no cais, aguardando a paragem do comboio com destino ao Oriente, em Lisboa. Terá sido quando este se aproximava que alguns dos jovens ali presentes pegaram em pedras e as arremessaram contra os polícias.

Um agente foi atingido e teve de ser suturado na cabeça e na perna. Dois civis, com cerca de 20 anos, foram detidos e posteriormente libertados. Estão notificados para se apresentarem, esta segunda-feira, em tribunal, acrescentou ao JN a mesma fonte.

Com o comboio parado, por razões de segurança, em Queluz-Belas, e a circulação na Linha de Sintra suspensa, a maioria dos presentes terá então fugido a pé.

Só depois, explicou a mesma fonte, a PSP foi avisada pelo Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) de que tinham dado entrada nas urgências uma mulher esfaqueada e um homem e uma mulher agredidos.

As autoridades apuraram que tal terá ocorrido numa festa no Monte Abraão, mas, para já, não há confirmação de que as duas ocorrências estão relacionadas.

Não é ainda claro, igualmente, o que terá estado na origem destas agressões nem se terá mesmo existido uma desordem, antes da chegada das autoridades, na estação de Queluz-Belas.