Extorsão

Tribunal proíbe professora de contactar vítimas

Tribunal proíbe professora de contactar vítimas

O Tribunal de Vila Real proibiu esta quinta-feira a professora, detida pela Polícia Judiciária pela suspeita de extorsão, de contactar as quatro alegadas vítimas.

Depois de ouvida em primeiro interrogatório judicial, o tribunal aplicou à professora de 39 anos o termo de identidade e residência, proibindo-a ainda de contactar com as quatro vítimas, uma mulher e três homens, a quem alegadamente extorquiu dinheiro.

A Unidade Local de Investigação Criminal da PJ de Vila Real anunciou na quarta-feira a detenção da mulher e explicou, em comunicado, que a suspeita," mediante a utilização de telefone, enviava mensagens às vítimas com ameaças de ações contra a vida de familiares daquelas ou divulgando factos da vida pessoal e íntima".

A Judiciária referiu ainda que os "factos ocorreram nos últimos dois meses, na cidade de Vila Real".

A imprensa nacional avança hoje que a docente alegadamente extorquia 5.000 mil euros às vítimas, entre as quais um polícia, a quem chantageava com a divulgação de provas de infidelidade.

Para fazer estas ameaças, a professora usava um telefone pré-pago, alterava a voz e não aceitava encontros pessoais.