Ministério Público

Interrogatório suspenso: Joe Berardo indiciado por mais quatro crimes

Interrogatório suspenso: Joe Berardo indiciado por mais quatro crimes

Joe Berardo e o seu advogado de longa data, André Luiz Gomes, foram, esta quarta-feira, indiciados por mais quatro crimes do que aqueles que, na terça-feira, tinham justificado as suas detenções.

Além de burla, fraude fiscal e branqueamento, o empresário e o advogado são ainda suspeitos de falsidade informática, falsificação, abuso de confiança e descaminho ou destruição de objetos colocados sob o poder público.

A informação foi prestada, ao final da tarde desta quarta-feira, pelo Conselho Superior da Magistratura, a pedido do juiz titular do processo, Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), em Lisboa.

Joe Berardo e André Luiz Gomes foram, às 16 horas desta quarta-feira, apresentados ao juiz, depois de terem pernoitado no estabelecimento prisional anexo à sede da PJ, em Lisboa. A indiciação do Ministério Público chegou ao TCIC pelas 17.15 horas e, às 20.15, estava ainda a ser consultado pela defesa dos arguidos. O interrogatório - que, na prática, não chegou a começar, com os arguidos a serem apenas identificados - foi, por isso, suspenso e deverá continuar na quinta-feira.

À chegada ao tribunal, às 16 horas, o advogado de Berardo, Paulo Saragoça da Matta, não esclareceu se o seu cliente ia prestar declarações perante o juiz. Já o mandatário de André Luiz Gomes, João Costa Andrade, não quis falar aos jornalistas.

Tal como o JN já noticiou, o Ministério Público está a investigar o empréstimo da Caixa Geral de Depósitos, entre 2006 e 2009 e sem garantias válidas, de centenas de milhões de euros a Berardo, para financiar a compra de ações do BCP. O empresário madeirense é também suspeito de ocultar e dispersar bens para evitar pagar as dívidas.

O processo conta, no total, com 11 arguidos: cinco pessoas e seis entidades coletivas. Joe Berardo e André Luiz Gomes foram os únicos detidos e vão, para já, passar mais uma noite na prisão.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG