Operação Matrioskas

Presidente da SAD da União de Leiria foi detido

Presidente da SAD da União de Leiria foi detido

O presidente da SAD da União de Leiria foi detido no âmbito da Operação Matrioskas que envolveu buscas em Leiria, no Sporting de Braga e nas SAD do Benfica e do Sporting.

O presidente da SAD da União de Leiria, Alexander Tolstikov, um assessor deste empresário russo, Sergiu Renita, e o diretor financeiro da mesma sociedade foram detidos pela Polícia Judiciária, no decorrer da Operação Matrioskas que envolveu buscas em Leiria, mas também no estádio do Sporting de Braga e nas instalações das sociedades anónimas desportivas (SAD) do Benfica e do Sporting. Suspeita-se que os russos viram na frágil situação da União de Leiria uma oportunidade para investir no futebol português e transformaram o clube leiriense numa lavandaria de dinheiro sujo.

A detenção dos dois russos que mandam na SAD da União de Leiria e do seu contabilista, cujo nome não foi possível confirmar, bem como a decisão de manter os três presos até ao seu interrogatório por um juiz de instrução criminal, para aplicação de medidas de coação, só foram conhecidas esta terça-feira à noite.

Fonte da Polícia Judiciária (PJ) disse hoje à agência Lusa que os três arguidos serão presentes a um juiz, no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, a partir da manhã de quinta-feira.

Na Operação Matrioskas estão em causa suspeitas de lavagem de dinheiro e de outros crimes que envolvem dirigentes da nova SAD da União de Leiria e transferências de futebolistas russos. A PJ e o Ministério Público suspeitam, nomeadamente, de que a União de Leiria venha sendo destino de dinheiro proveniente do crime organizado na Rússia, com passagem por um terceiro país, da região do Báltico.

Também houve buscas em residências particulares, empresas, veículos, escritórios de contabilidade e um escritório de advocacia. Além das equipas da PJ, participaram nessas 22 diligências um magistrado do Ministério Público, um juiz e um representante da Ordem dos Advogados.

Segundo o comunicado emitido pela Procuradoria-Geral da República, os factos sob investigação podem configurar cinco tipos de crime: fraude fiscal, associação criminosa, branqueamento de capitais, corrupção e falsificação de documentos. A Polícia Judiciária (PJ) também emitiu um comunicado sobre a designada Operação Matrioskas, mas sem falar em corrupção.

A PJ informou ainda que as buscas permitiram não só "apreender material com relevante interesse probatório" como a "subsequente constituição de pessoas individuais e coletivas como arguidas". A PGR, por seu lado, informou que "o processo não tem, até ao momento, arguidos constituídos".
Uma fonte policial confirmou ao JN a constituição de arguidos, e a agência Lusa adiantou que já são seis. São os casos do empresário russo Alexander Tolstikov, que é presidente da SAD da União Desportiva de Leiria, a própria SAD e o clube.

O inquérito criminal - iniciado em 2015 e dirigido pelo Ministério Público do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, que se faz coadjuvar pela Polícia Judiciária e Autoridade Tributária - envolve transferências de futebolistas russos para grandes clubes portugueses, onde jogam, nomeadamente, nas chamadas equipas B.

Fonte policial sublinhou, ao JN, que "não existe qualquer suspeita em relação às SAD do Benfica, Sporting e Sporting de Braga. "Isso está absolutamente fora de questão", insistiu, sustentando que as suspeitas estão centradas em Leiria.

A Sporting de Braga - Futebol SAD já emitiu um comunicado onde, além de confirmar as buscas, negou ser alvo da investigação. "Nem a SC Braga - Futebol SAD nem qualquer um dos seus representantes ou colaboradores são visados na investigação referida, tendo prestado todas as informações solicitadas e demonstrado total disponibilidade para cooperar com as entidades competentes", lê-se no curto comunicado da SAD minhota.

O Benfica também confirmou que lhe foi solicitada "documentação em relação a duas transações efetuadas com terceiros, no âmbito de uma operação de investigação em que a Benfica SAD não é visada". "Toda a documentação solicitada foi facultada", garantiu, à agência Lusa.

A nova SAD da União de Leiria foi constituída em meados de 2015. Os seus administradores executivos são os russos Alexander Tolstikov e Yuri Zaitsev.

Atualmente, o clube leiriense disputa o Campeonato Nacional de Seniores (terceira divisão) e encontra-se em quarto lugar, ainda com hipótese de subir de divisão.

A União Desportiva de Leiria permaneceu dez anos consecutivos na liga principal do futebol profissional, mas acabou por ser despromovido administrativamente, em 2008, o que pôs fim à liderança de João Bartolomeu. A respetiva SAD seria declarada insolvente e extinta, em 2013, abrindo-se as portas do clube a investidores russos.